Seminário de abertura

3766406_orig

 

 

COMUNICADO DE IMPRENSA     04.10.2013

Para quem ainda pensa que o feminismo é algo ultrapassado e está fora de moda, este é o tempo de voltar a colocá-lo na agenda quotidiana! Um tempo de reflexão e de luta sobre a igualdade de género em todos os aspectos da sociedade.

No dia 11 de Outubro nasce em Lisboa a “Universidade Feminista”, uma iniciativa que partiu de investigadoras em Estudos de Género, activistas sociais e profissionais de relevo em várias áreas. Sem praxes, o ‘ano lectivo’ deste novo e plural projecto feminista inicia-se na próxima semana.

Sexta-feira, 11 de Outubro de 2013, na Fundação Calouste Gulbenkian, na sala 2, a partir das 17h30, a  sessão de abertura da Universidade Feminista reúne intervenções de:
–  Lynne Segal, professora e investigadora em Estudos de Género na Universidade de Londres e autora (entre outas obras) de  “Why feminism? “
– António Sampaio da Nóvoa, ex-reitor da Universidade de Lisboa e especialista em Ciências da Educação
– Maria do Mar Pereira, investigadora em Estudos Feministas e de Género da Universidade de Warwick 
– Manuela Tavares, activista feminista e investigadora da Universidade Aberta

Sábado, 12 de Outubro de 2013, no Centro de Cultura e Intervenção Feminista CCIF/UMAR (em Alcântara),  o Seminário de Abertura da Universidade Feminista divide-se em dois painéis:

10h00/13h00 – “Desordens no Planeta”, com intervenções de Luísa Schmidt, Joana Miranda, José Manuel Pureza, Eduarda Ferreira e Ana Gomes.

15h00/17h30 – “E, no entanto, elas movem-se…” com intervenções de Maria Teresa Horta, Ana Luísa Amaral, Raquel Freire e Lígia Amâncio.

A partir daqui, semanalmente às quartas-feiras e, por vezes, também aos sábados, a Universidade Feminista abre as portas do Centro de Cultura e Intervenção Feminista CCIF/UMAR à partilha de experiências e saberes nos mais variados temas, sempre sob uma perspectiva de igualdade de género.

A partir de Novembro começam os ciclos temáticos mensais já planeados e estruturados até 2015. O 1º ciclo, “Migrações e Cidadanias”, com a organização da professora Joana Miranda e da investigadora Rosana Albuquerque, divide-se em três sessões: “Artes”, a 20 de Novembro; “Identidades e Cidadanias”, a 27 de Novembro, e, por fim, “Violências”, a 4 de Dezembro.

A 18 de Dezembro, propomos o Seminário “Os usos do tempo”, organizado pela socióloga Cristina L. Duarte.

Janeiro de 2014 é o mês do 2º ciclo, denominado “Arte e Literatura”. Já em Fevereiro de 2014, decorre o 3º ciclo que trata das “Correntes Feministas”. Março recebe o workshop organizado pela Rede de Jovens para a Igualdade sobre “Intergeracionalidade dos Feminismos”, a 19 de Março, e o Seminário “Pensamentos de Feministas que Marcaram os Tempos – Beauvoir, Firestone, Rich e Butler”, no dia 22 de Março, sábado.

Estão abertas as inscrições para a frequência dos ciclos programados até ao Verão de 2014, através do e-mail universidadefeminista@gmail.com .

Mas o que é a Universidade Feminista?

Na Universidade Feminista (UF) cruzam-se pessoas de várias origens e condições – da academia, da investigação, do activismo social e da militância feminista  que, em conjunto, se propõem a uma aprendizagem partilhada, recheada de debates vivos e estimulantes, com uma calendarização regular e planificada para dois anos, consistente e sob a perspectiva dos feminismos. Assim, a UF não faz concorrência às escolas superiores onde se investigam e ensinam Estudos de Género, Estudos sobre as Mulheres ou Feministas, mas delas recolhe o que produzem em pensamento e reflexão, tornando-o acessível a qualquer pessoa interessada em analisar o mundo sob uma perspectiva de igualdade de género.

A Universidade Feminista tem como entidade promotora a UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta) e conta com a colaboração da APEM (Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres), da AMONET (Associação Portuguesa de Mulheres Cientistas), da APMJ (Associação Portuguesa de Mulheres Juristas) e da PpDM (Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres).